STOP Porto Comercial- avança Cais de Pesca

Em Fevereiro último, o Primeiro Ministro Patrice Trovoada, anunciou o fim do sonho santomense de construção do porto em águas profundas, na região de Fernão Dias.

Foi numa entrevista à Agência Portuguesa de Notícias, Lusa. O Chefe do Governo, disse que o seu executivo decidiu substituir o projecto de construção do porto comercial de águas profudas, por um cais de pesca.

Patrice Trovoada, explicou a decisão com base em dificuldades financeiras que o país enfrenta. O porto em Águas Profundas, projectado para Fernão Dias, estava avaliado em cerca de 800 milhões de dólares.

Em 2017, o Primeiro Ministro Patrice Trovoada, apontou China como novo parceiro estratégico que no quadro do investimento privado, iria dar forma a execução do projecto.

Aliás, o Governo  de Patrice Trovoada, já tinha assinado um memorandum de entendimento com a empresa chinesa “China Harbour Engineering Company Ltd” com vista ao início das obras de construção do porto em águas profundas.

O Memorandum assinado em Outubro de 2015, pelo Governo e a empresa chinesa, garantia que a primeira fase do projecto deveria estar concluída em 2018, e que o porto estaria operacional em 2019.

No memorandum a empresa chinesa assumiu o compromisso de investir 120 milhões de dólares na realização da primeira fase da obra.

O entendimento entre o Governo e a empresa chinesa, definia a futura infraestrutura portuária como sendo de classe mundial e que o projecto seria desenvolvido para atender as necessidades logísticas do golfo da Guiné.

Em Fevereiro de 2018, em entrevista a Lusa, o Chefe do Governo, reconheceu que o FMI não apoiava o projecto de construção do porto em águas profundas, conforme o Téla Nón havia noticiado em Março de 2017, após reunião entre a delegação do FMI e Patrice Trovoada.

«Nós não temos nenhuma intenção de romper as relações com o FMI, que é a agência que nos dá as notas e que nos permite depois ter acesso a outros fundos», referiu o Primeiro Ministro na entrevista à Lusa.

O Cais de Pesca, que vai ser construído em São Tomé está avaliado em 70 milhões de euros. Na entrevista Patrice Trovoada, explicou que se trata de um investimento da China.

Note-se que em Junho de 2017, a Direcção Geral das Pescas de São Tomé e Príncipe, e o departamento das pescas da província chinesa de Fuji Sam, assinaram um memorandum de entendimento que abre portas para navios de pesca chineses operarem nas águas são-tomenses.

Porto em águas profundas em São Tomé, fica para história, numa altura em que a China e a Nigéria dão ponta- pé -de -saída na construção do maior porto da região do Golfo da Guiné.

Fonte: Téla Nón

2018-04-26 02:40:56

Mais Recentes