Delfim Neves como Presidente da AN

O povo decidiu nas urnas de 7 de outubro último, e mais de um mês depois, a Assembleia Nacional de 55 assentos foi composta. Nasceu uma nova maioria, de 28 deputados, que se posicionou claramente na casa parlamentar. A Nova Maioria, elegeu Delfim Santiago das Neves da bancada da coligação PCD-MDFM-UDD, como novo Presidente da Assembleia Nacional.

Carlos Correia, o candidato do partido ADI saiu derrotado. Conseguiu amealhar 25 votos. 54 deputados participaram na votação. António Monteiro, deputado do movimento independente de Caué, preferiu ausentar-se da sala no momento da votação. Beatriz da Veiga Azevedo deputada do movimento independente, entrou na sala antes do início da votação. No final houve também um voto branco.

Guilherme Octaviano, deputado do MLSTP, e candidato ao cargo de Primeiro Vice-Presidente da Assembleia Nacional, foi  eleito com votos da nova maioria, mas também com votos da ADI e do movimento Caué. Pois conseguiu 36 votos.

Levy Nazaré, deputado da ADI, foi eleito segundo vice-presidente da Assembleia Nacional com 28 votos. A nova Assembleia Nacional ficou composta com a eleição dos secretários da mesa e demais membros da estrutura administrativa do parlamento.

Na sala ao lado, anfiteatro do Palácio dos Congressos, o Presidente da República Evaristo Carvalho entrou em cena para saudar a abertura da XI legislatura. Abraçou apertado o novo Presidente da Assembleia Nacional.

Evaristo Carvalho destacou o desafio imposto pelo povo à casa parlamentar. «A legislatura que hoje se inicia, não se afigura nada fácil, quer pela crescente expectativa gerada no seio da população, ou mesmo, se não o mais importante pela forma particular e exigente da correlação de forças desta Assembleia o que impõe a todos os deputados, uma necessidade permanente de busca de consensos».

Segundo Evaristo Carvalho, na democracia as decisões da maioria devem ser respeitadas. «Chamo a atenção para a necessidade das sessões parlamentares serem um palco de debate de ideias, projectos e programas, com postura e urbanidade e no respeito pelas decisões democráticas da maioria», pontuou.
Antes do pronunciamento do Presidente da República, Delfim Neves, o novo Presidente da Assembleia Nacional, realçou o momento histórico que se viveu no parlamento. Prometeu resgatar a imagem do órgão de soberania de poder legislativo, assim como dos deputados. «Constituirá, pois minha principal missão resgatar a imagem da casa parlamentar e dos deputados perante a nação e o mundo», sublinhou Delfim Neves.

Garantiu que vai agir no sentido de que os deputados se respeitem e sejam respeitados. « Contribuir para que o povo esteja devidamente representado na Assembleia Nacional, centrando especial atenção em pugnar para que a diáspora são-tomense venha a ter voz activa nos actos eleitorais realizados no país, dentre os quais as eleições legislativas e presidenciais, podendo eleger e serem eleitos, para que a justiça social seja verdadeiramente uma virtude em São Tomé e Príncipe», detalhou o novo Presidente da Assembleia Nacional.

Delfim Neves, manifestou total disponibilidade para promover a colaboração da Assembleia Nacional com os outros órgãos de soberania, sempre « no quadro do respeito mútuo e da separação de poderes», concluiu.

Abel Veiga no Jornal Telá Nón

Mais Recentes